Tecnologia e telemedicina têm ajudado a salvar vidas e reduzir custos

Artigo Tecnologia e telemedicina têm ajudado a salvar vidas e reduzir custos
Data:

12/11/2021

Evolução da saúde digital e o desenvolvimento de novas soluções impactam na qualidade de vida das pessoas

Implementar sistemas, plataformas e ferramentas sob medida na área de saúde traz muitos benefícios não só para as instituições do setor, mas para colaboradores, médicos e, principalmente, pacientes. A telemedicina é hoje uma realidade crescente e como resultado, traz melhorias ao trabalho de profissionais de saúde e os pacientes ficam mais satisfeitos ao serem atendidos com rapidez, conforto e segurança, além de reduzir custos de dados e processos.

Essa é a visão da Rafael Figueroa, CEO da Portal Telemedicina – plataforma de telediagnóstico e gestão de saúde populacional, que integra diretamente a prontuários e devices, transferindo dados para que médicos especialistas possam prover diagnósticos e teleconsultas –, que participou do Global Summit Telemedicine & Digital Health, na tarde do último dia do evento, realizado pela Associação Paulista de Medicina (APM), em parceria com o Transamérica Expo Center.

“A plataforma utiliza modelos de inteligência artificial, treinados em milhões de exames, para detectar achados e priorizar emergências. Os gestores têm o benefício de obter uma visão global, com integração a sistemas e aparelhos antigos sem a necessidade de substituição, com acesso a painéis gerenciais em uma verdadeira central de comando para a gestão da saúde populacional”, explicou Figueroa.

Desde o início da pandemia de Covid-19, a Portal adaptou os algoritmos para detectar Covid-19 em exames de radiologia com 95% de acurácia e lançou aplicativo de teleconsulta – o SOS Portal – que conecta médicos a pacientes.

“Mais de 30 milhões de pacientes já passaram pelo sistema da health tech, que é acelerada pelo Google e já venceu prêmios internacionais de inovação. Em 2019, a Portal Telemedicina foi eleita pela ONU como uma das dez melhores empresas do mundo para acelerar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável de 2030. Em 2021, recebeu o prêmio Top Global Telemedicine Solution, da Healthcare Tech Outlook Magazine”, destacou o CEO.

Para ele, a evolução da saúde digital e o desenvolvimento de novas soluções e tecnologias, como a inteligência artificial, são muito importantes, pois impactam diretamente na qualidade de vida das pessoas.

Figueroa também destacou que o uso da inteligência artificial (IA) contribui com a agilidade na emissão de laudos dos exames cardiológicos. Como exemplo, ele citou a cidade de Tarumã, no interior de São Paulo, pioneira na implementação da telemedicina cardiológica pelo SUS. Com o sistema de telelaudo com orientação de conduta, uma equipe com milhares de médicos cardiologistas à disposição da unidade de saúde municipal e, utilizando IA e telemedicina, o SUS do município paulista passou a emitir laudos de eletrocardiograma em três minutos.

Um dos indicadores que fez com que a cidade buscasse a telemedicina foi o de que 23,5% dos óbitos de Tarumã estavam relacionados a problemas cardíacos.

“A adoção da plataforma fez com que o índice de morte por infarto agudo de miocárdio tivesse uma redução de 45% na cidade após um ano de implementação da ferramenta, o que gerou uma redução de 30% nos gastos da prefeitura com doenças cardíacas.  Hoje a cidade conta com um atendimento na mesma agilidade do que é oferecido em grandes centros médicos”, ressaltou Figueroa.

Desafios

Na opinião de Carlos Javier Roa, CEO e fundador MiDoctor 24h – plataforma de telemedicina que conecta provedores de saúde certificados com pacientes em um ambiente seguro e com todas as ferramentas necessárias para realizar atividades médicas virtuais, além de fornecer tecnologia, equipamentos e serviços de telessaúde – a telemedicina é uma aposta para solucionar os desafios socioeconômicos enfrentados pelos sistemas de saúde em todo o mundo. 

“O seu papel na otimização dos recursos de saúde, melhor gestão da demanda, redução do tempo de internação e redução do número de viagens, aumenta a importância desta tecnologia para a melhoria da eficiência e sustentabilidade dos sistemas de saúde”, observou Roa, que informou que a MiDoctor 24h estará iniciando sua operação no Brasil no primeiro trimestre de 2022.

“Queremos mostrar aos profissionais de saúde e pacientes que eles podem obter novos benefícios em suas atividades diárias, como, por exemplo, mudar os paradigmas dos modelos tradicionais de atendimento com a inclusão de ferramentas de monitoramento remoto em pacientes crônicos, com Covid-19, durante e após a doença e seu impacto”, salientou Roa.

Comunicação assertiva

Disseminar informação sobre saúde de qualidade para o ecossistema, com uma comunicação atividade e direcionada, auxilia o paciente em sua jornada de atendimento em saúde, na opinião de Ricardo Sonati, founder & CEO da TV Doutor – plataforma de comunicação para hospitais, clínicas e laboratórios, com o intuito de conectar os consumidores e os profissionais da saúde em toda a jornada de atendimento.

“Muitos gestores de Tecnologia da Informação de hospitais e clínicas médicas têm procurado ferramentas que entregam mais valor e eficiência ao paciente e consequentemente melhores resultados ao estabelecimento de saúde. Desde o momento em que o paciente procura por uma informação sobre o estabelecimento de saúde na internet até a sua chegada ao local, a espera pelo atendimento, a consulta médica em si, o pós-consulta, o retorno para avaliação dos exames. Toda essa jornada de consumo precisa estar bem construída e alinhada. Aí entram a tecnologia, a informação e a comunicação”, informou Sonati.

Nessa jornada, ele explicou que um site bem construído e com informações claras é essencial, bem como um sistema de troca de mensagens que permita uma comunicação aproximativa, humanizada e efetiva do paciente com o estabelecimento e vice-versa.

“A espera pela consulta ou por um procedimento representa um momento importante e a TV da sala de espera pode ser utilizada estrategicamente através de uma programação personalizada e low touch. Não é mais admissível que a TV de um estabelecimento de saúde esteja sintonizada em canais abertos que transmitem jornais com notícias trágicas, que sugestionam ansiedade, pessimismo e negatividade. Ou conteúdos superficiais que em nada agregam à saúde e ao bem-estar do paciente e do acompanhante”, alertou.

O CEO da TVDoutor disse que o conteúdo que deve ser divulgado nas TVs internas do estabelecimentos de saúde são a equipe médica do local, protocolos de atendimento, esclarecimento das principais dúvidas apontadas durante as consultas, entre outras ações.

“Quaisquer informação que seja útil para potencializar o relacionamento com o paciente, a autoridade, credibilidade e ainda para aumentar a receita do local são bem-vindas na visão do paciente”, afirmou Sonati ao concluir a apresentação no Global Summit.

Newsletter

Inscreva-se e acompanhe as novidades sobre o Global Summit Telemedicine & Digital Health 2021.